quarta-feira, 10 de Janeiro de 2007

A Oportunidade - em sentido da felicidade

Digamos que a nossa primeira oportunidade na vida é precisamente a de viver, acreditamos que graças aos nossos pais e a deus, ela foi aproveitada, até porque o destino assim a ditou. Na nossa vida vivemos de forma controversa, cheia de indecisões e problemas, onde temos sempre dois caminhos a seguir/escolher, que é inevitávelmente e inconfundivelmente , o bom ou o mau; a maior parte de nós claro que prefere escolher sempre o bom, ir sempre para o mais correcto, o eticamente correcto, o melhor para para nós, aquilo que nos vai levar a ficar bem e felizes ou pelo menos satisfeitos e bem com nós mesmos (a decisão que formos a tomar vai-se reflectir no nosso estado de espírito, na nossa confiança para com o mundo e para com nós mesmos), agora falando no antónimo de bom, das duas uma, ou temos consciência do caminho que estamos a seguir, um caminho mau ou quando o escolhemos pensamos à partida que foi a melhor melhor decisão que podíamos ter tomado, não sabendo que que estavamos a seguir um mau caminho, um caminho que nos irá levar ao abismo ou simplesmente nos levará áquilo que não queriamos que acontesse, aquilo que não era afinal de contas, o mais desejado.

Nós todos devemos escolher o que achamos que é o melhor para nós, mas também devemos pensar sempre duas vezes ou até mais de forma a que não nos arrependamos mais tarde, a vida é assim, cheia de oportunidades que pelo nome, à partida parece uma palavra de "bem", mas pode não ser, portanto convém ter precausão; ter auto-determinação é fundamental, para aproveitarmos e escolhermos as diferentes oportunidades que temos ao longo da nossa vida.

O mais importante é não falhar, porque se falharmos, a vida pode tornar-se inoportuna.

sábado, 6 de Janeiro de 2007

O Tempo - a mais velha existência



Podemos definir o tempo como a velha concepção ou como a velha máquina imparável, que nos serve para controlarmos a nossa vida e para dividirmos os nossos compromissos e obrigações. É o controlador de todos nós, diz-se e é verdade que temos tempo para tudo, comer, dormir, estudar, namorar, sair com os amigos e com a família..., só que temos que ter consciência e auto-controlo para fragmentar as nossas acções e dependências, por vezes gostamos de estar um dia inteiro com os nossos amigos ou estar na cama a descansar ou outro desejo qualquer, seja ele qual for, o nosso dever, a nossa obrigação impõe-se nesse instante sobre a nossa moral e aí somos obrigados, sem se quer a olhar para trás e sem pensar duas vezes (isto se a pessoa é altamente responsável), a agir em conformidade com a nossa natureza, isto é, na qualidade de ser humano que somos (é natural que as pessoas têm que estudar, ir trabalhar, ir comprar uma prenda para um amigo, ir ver um jogo de futebol da equipa que se gosta, ter que ir a um casamento...), mas na veracidade o tempo é muito mais que isto, na minha opinião o tempo representa a nossa escassa vida, decorrente no presente e no futuro, ficando para sempre a nossa marca, a nossa qualidade de "único" algures no imaginário e no infinito do passdo; o tempo não tem piedade de ninguém, ele é rápido e ofensivo, ataca-nos com a sua eternidade pelas costas como se não houvesse amanhã, como se tudo que existisse não significasse nada. Nós não demos pelo tempo a passar, viemos ao mundo, crescemos e desenvolvemo-nos moralmente e intelectualmente, formamo-nos, casamos, realizamos os nossos sonhos e ambições, envelhecemos (e é assim que o nosso tempo passa) e depois?...o que é que o tempo deixa fazer mais?

Bem pessoal, aproveitem o tempo ao máximo, agem como devem agir, tomem as decisões mais acertadas para a vossa vida, sejam maduros mas ao mesmo tempo sejam "senhores do mundo" e lembrem-se: "Nunca é tarde para..."

quinta-feira, 4 de Janeiro de 2007

A amizade


Uma dúvida sempre persiste, sobretudo no início da nossa vida: "O que existe de mais importante no mundo?" É a velha questão, que nos chama cedo ou mais tarde à atenção e que nos embala ao ideal; no meu entender a resposta é a "amizade", tal como acredito que seja para a maior parte de todos nós, é um facto, é uma realidade peculiar do ser humano, partindo de uma forma mais objectiva, o ser humano nasce para ser necessariamente feliz, antes e depois de realizar os seus sonhos e objectivos, a sua vida é percorrida e acumulada com carinhos, abraços, beijos, alegrias e sensações partilhadas, sonhos unidos...., isto tudo faz parte do que passamos com os nossos amigos que fazemos ao longo da nossa vida, por vezes podemos estar enganados com alguns deles e isso nota-se quando a falsidade vísivel e não escondida atinge-nos em momentos da nossa vida.
Costuma-se dizer que os verdadeiros amigos são aqueles que aparessem em momentos difíceis da nossa vida, sendo-lhes indiferente o grau de dificuldade em que nos encontremos eles estão lá para nos dar atenção, conselhos, carinhos e afinal de contas para nos dar outra forma de pensar e estar na vida, quero eu dizer que conviver com os amigos não é só estar no divertimento e se falar de coisas de que se gosta em comum, mas também é crescer moralmente, faz-nos levantar a auto-estima submersa e o mais importante ajuda-nos a atingir o nosso ideal de felicidade.
Eu confesso, eu não tenho muitos amigos, mas os que tenho, digo com toda a clareza que são uns amigos verdadeiros e confiáveis. Contudo, na verdade não existem palavras para descrever o que é a amizade, é algo de misterioso e abstracto, quase me arrisco a dizer que a amizade alimenta a nossa vida. É simplesmente a paixão do ser humano.

Por fim para reflectir deixo-vos uma citação:

"A amizade é uma alma com dois corpos"

"A primeira qualidade do estilo é a clareza"

"Ter muitos amigos é não ter nenhum"

terça-feira, 2 de Janeiro de 2007

Ponto de Partida


Para inaugurar este blog decidi falar neste primeiro texto sobre a necessidade de ser feliz, dando assim sentido ao ponto de partida deste blog e posteriormente por onde todos nós devemos começar que é...."Pensar em ser feliz".
Todos nós temos que ter um ponto de partida na nossa vida, quando queremos algo ou chegar a algum lado, temos que ter um "plano", que constituí na reflexão, na prática e na realização do tão desejado algo.
O nosso ser, em contraste com os outros tem um objectivo mais complexo (ser feliz), para o alcançarmos temos que passar por uma série de obstáculos, enigmas e muitas vezes temos de "lutar" contra nós próprios, contra a nossa vontade manipuladora, persistente no bem - estar imediato, isto leva - nos a uma decadência em que aos poucos destruímo - nos, e assim para quê a vida?.
Todos nós temos de tomar consciência, determinação para fazermos o que está certo, o que é melhor para nós tendo em vista o futuro, um futuro risonho, sem dificuldades nem desgraças; a nossa concepção e os nossos dotes têm sempre que prevalecer, para que nos possamos integrar numa sociedade global cada vez mais rigída, que nos apela ter na nossa bagagem uma cultura abastada, onde a palavra "Profissionalismo" é por um lado o slogan subentendido desta sociedade e pelo outro a palavra - chave para o nosso sucesso.
Bem, eu acho que fui breve neste primeiro texto, mas disse de forma sistemática aquilo que penso e aquilo que é mais importante referir, em breve voltarei com um assunto menos falado/mediático, mas talvez um pouco mais interessante; o que eu pretendo com este blog é falar da vida global, partilhar as minhas ideias e sensações com toda a gente, é bom reter que isto que escrevo, são apenas meros textos, é assim que penso; por vezes posso estar errado e portanto, quando não estarem de acordo com aquilo que escrevo, simplesmente ignorem e deiam a vossa opinião.
Espero que gostem deste blog e para quem comentar, o meu muito obrigado!!!